Governo do estado inicia reforma da Escola Compositor Luiz Carlos da Vila em Manguinhos

Governo do estado inicia reforma da Escola Compositor Luiz Carlos da Vila em Manguinhos

Max Lemos - Governo do estado inicia reforma da Escola Compositor Luiz Carlos da Vila em Manguinhos
Max Lemos - Governo do estado inicia reforma da Escola Compositor Luiz Carlos da Vila em Manguinhos

“Enfim, um horizonte melhor me sorriu”. Esse trecho da canção “Horizonte Melhor”, de Luiz Carlos da Vila, reflete bem o sentimento dos moradores das comunidades de Manguinhos e Jacarezinho, em Benfica, Zona Norte do Rio. Nesta segunda-feira (24), o governador Claudio Castro visitou o Colégio Estadual que leva o nome do compositor, em Manguinhos, e anunciou as obras de reforma da unidade escolar, ao lado dos Secretários de Infraestrutura e Obras, Max Lemos e o de Educação, Alexandre Valle. A ação faz parte do Programa Cidade Integrada lançado na semana passada pelo governo do estado, que prevê uma série de ações nas Comunidades do Jacarezinho e Muzema.

Inaugurada em 2009 como escola modelo, hoje, a unidade de ensino, que conta com 1458 alunos, está deteriorada por falta de manutenção em sua infraestrutura. O levantamento realizado pela Empresa de Obras Públicas (Emop), responsável pela execução da obra, identificou que os espaços internos e externos estão em péssimo estado de conservação. Até o fim da semana, o estudo apontará o custo total das intervenções. No entanto, de forma emergencial, agentes do estado já começaram a atuar na limpeza do local. A reforma irá contemplar as 14 salas de aula, laboratório, biblioteca, todos os setores administrativos, quadra esportiva, duas piscinas, a rede elétrica e hidráulica, além da cobertura e pintura. A obra deverá ser concluída em até seis meses e irá aumentar a capacidade em até 30% do número total das vagas oferecidas pela unidade de ensino.

De acordo com o governador Claudio Castro, as obras irão possibilitar a integração com a comunidade com a oferta de atividades gratuitas de cultura, esporte e lazer.

– Estivemos aqui na sexta passada e entendemos a necessidade de reformarmos esta escola tão importante. Vamos também revitalizar a área da piscina e a quadra poliesportiva, que anteriormente tínhamos imaginado para serem usadas em competições, e, que agora, atendendo ao pedido da comunidade, vamos transformar em área de convivência social. Ou seja, durante a semana iremos atender aos alunos e aos fins de semana os moradores do bairro”, adiantou Castro.

O Secretário de Infraestrutura e Obras Max Lemos destacou a importância das intervenções em infraestrutura que serão executadas em toda a região pelo Programa Cidade Integrada.

– Nossa obrigação é fazer obras, melhorar a infraestrutura. Aqui, vamos reformar todas as salas de aula, a quadra, cuidaremos da parte elétrica. As piscinas serão reformadas e adaptadas. Enfim, vamos ter uma nova escola, inclusive com salas refrigeradas para que os alunos possam ter mais conforto durante o ensino. E outros investimentos estão previstos para a região, como a reforma do Centro da Juventude e a construção de 765 unidades habitacionais para as famílias que estão no aluguel social e para aquelas que moram na beira dos canais, adiantou Lemos.

Já o Secretário de Estado de Educação, Alexandre Valle, destacou a importância da obra para os alunos e moradores da região.

– É o Estado dando a oportunidade ao estudante que deseja se formar e para aquele morador que quer aprender uma natação, um esporte. A reforma não foi uma decisão isolada, mas foi tomada em conjunto com a comunidade e os moradores. Todo o investimento que nós vamos fazer será para eles, ressaltou.

Esperança renovada

O Colégio Estadual Compositor Luiz Carlos da Vila foi inaugurado no local em que funcionava um quartel do exército, após reivindicação de moradores de Manguinhos, Jacarezinho e Mandela. Hoje, a escola funciona de forma precária, conforme relatou a moradora de Benfica e liderança comunitária local, Cândida Maria, de 61 anos.

– A escola era uma coisa linda, recebeu muitos alunos, era muito boa pra comunidade, mas se deteriorou com o tempo. Hoje, os aparelhos de ar-condicionado não funcionam, os poucos ventiladores que sobraram estão quebrados, falta água, não tem iluminação, teto e paredes estão rachados. A reforma será muito importante para todos nós para que possamos ter projetos sociais, áreas de lazer, entre outras melhorias. Estou esperançosa”, destacou a moradora.

Na Régua chega ao Jacarezinho em fevereiro

Outra ação que será desenvolvida neste primeiro momento pela Secretaria de Infraestrutura e Obras no Programa Cidade Integrada será a implantação do projeto “Na Régua” nos territórios que forem ocupados pelo governo. Até o fim deste mês, o Jacarezinho vai ganhar um escritório regional, que contará com uma equipe composta por engenheiro, arquiteto, assistente social e articuladores locais. Além de oferecer assistência técnica gratuita de arquitetura e engenharia às famílias, o projeto irá selecionar as moradias que precisam de pequenas reformas de até R$ 15 mil.

Fonte: SEINFRA