Governo do Estado realiza audiência pública sobre extensão da Via Light

Governo do Estado realiza audiência pública sobre extensão da Via Light

max lemos
max lemos

Apresentar o projeto de expansão da Via Light (RJ-081) à sociedade civil e às autoridades, traçando detalhes e impactos sociais desta grande intervenção. Este foi o objetivo da audiência pública realizada pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Obras (Seinfra), nesta terça (22). Cerca de 250 pessoas compareceram no evento, que aconteceu no auditório da Universidade Iguaçu (Unig), no Bairro da Luz, em Nova Iguaçu. O secretário de Estado de Infraestrutura e Obras, Max Lemos, comandou a audiência pública, que também contou com a participação do prefeito de Queimados, Glauco Kaizer, além de secretários e vereadores dos municípios de Nova Iguaçu e Queimados, e de deputados estaduais. Representantes de órgãos de controle e de fiscalização também estiveram presentes.

 

Com investimento de R$730 milhões, o prolongamento da via compreende o trecho entre a Rodovia Presidente Dutra (acesso a Queimados) até a Avenida Roberto Silveira (Nova Iguaçu). O projeto, que foi explanado e debatido por cerca de três horas, prevê a construção de sete viadutos e seis passarelas na estrada, além de dois acessos de entrada e saída à via, para garantir mais agilidade no trânsito. No total, são cerca de 12 quilômetros de extensão e um prazo de execução de 24 meses.

 

O novo trecho beneficiará cerca de 1 milhão de moradores na Baixada Fluminense. Para a execução da obra será necessário o remanejamento de 23 torres de alta tensão ao longo da via. E, de acordo com o secretário Max Lemos, o Governo do Estado já realiza um estudo sobre o impacto social no entorno da obra. O objetivo é que as residências que estejam em áreas de risco como encostas e beiras de rio sejam interditadas e seus moradores realocados.

 

“A audiência pública foi muito produtiva, pois é uma ação legal onde apresentamos todos os detalhes do projeto à população e às autoridades. Essa é uma obra importante, afinal, além de ser uma alternativa para o trânsito na Baixada Fluminense, também possibilitará o desenvolvimento social e econômico da região. A obra eleva o desenvolvimento social e impacta positivamente a mobilidade urbana. Essa é uma questão prioritária do governo Cláudio Castro para a Baixada”, destacou o secretário Max Lemos.

 

De acordo com um estudo da Câmara Metropolitana, cerca de 70% dos empregos gerados na Região Metropolitana estão concentrados na capital fluminense. E, muitas vezes, a questão do trânsito é um empecilho para o acesso a essas oportunidades. No levantamento apresentado, as obras de extensão da Via Light devem gerar 2 mil empregos diretos e indiretos.

Fonte: SEINFRA