Max Lemos pede agilidade para instaurar CPI do Arco Metropolitano

Max Lemos pede agilidade para instaurar CPI do Arco Metropolitano

O deputado Max Lemos cobrou ontem na Alerj, agilidade na criação de uma CPI para apurar a má conservação do Arco Metropolitano. O pedido de instalação, que partiu do próprio parlamentar, protocolado em maio deste ano, ainda não foi concretizado porque há oito comissões em andamento. Na edição de ontem, o Jornal O Dia citou a iniciativa do deputado e relatou os problemas da rodovia. “A Assembleia Legislativa tem que fazer o papel dela, buscando solução para essa questão, tão importante ao povo do Estado do Rio de Janeiro”, disse Max.

Construída no entorno dos municípios da Região Metropolitana, a Rodovia Raphael de Almeida Magalhães, o Arco Metropolitano, teve um atraso na realização da obra que durou cerca de seis anos. A fase de duplicação encontra-se abandonada.

“Foram gastos muito dinheiro na obra. O resultado, entretanto, não favoreceu a população. É necessária a abertura de uma CPI, pois além de apurar a má conservação, pretendemos contribuir no planejamento de sua expansão urbana, fomentando os segmentos de habitação, comércio, serviços e indústrias”,

afirma o deputado.

O Arco Metropolitano corta diversos municípios da Baixada Fluminense e adjacência como Guapimirim, Magé, Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Queimados, Japeri, Seropédica e Itaguaí. Quando o trajeto original estiver concluído terá 145 Km de extensão.