Projeto “Na Régua” abre primeiro escritório na Baixada Fluminense

Projeto “Na Régua” abre primeiro escritório na Baixada Fluminense

Max Lemos - Projeto “Na Régua” abre primeiro escritório na Baixada Fluminense
Max Lemos - Projeto “Na Régua” abre primeiro escritório na Baixada Fluminense

Moradores do Morro do Kisuco, da Paz e Vila Coimbra, em Queimados, já podem solicitar assistência técnica gratuita de arquitetura e engenharia

Vertente do programa Casa da Gente, o projeto “Na Régua – arquitetura acessível, moradia digna”, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Obras, abriu, nesta semana, seu primeiro escritório na Baixada Fluminense. A partir de agora, os moradores do Morro Kisuco, da Paz e Vila Coimbra, em Queimados, já podem solicitar os serviços gratuitos de assistência técnica gratuita de arquitetura e engenharia. Estão previstas ainda melhorias habitacionais de até R$ 15 mil para as famílias de baixa renda dessas comunidades.

Antes de inaugurar o escritório regional, que conta com arquitetos, engenheiros, assistentes sociais e articuladores locais, pesquisadores comunitários do projeto já visitaram 1.392 domicílios no município, a fim de realizar o censo de inadequação habitacional das três comunidades. Foram realizadas 655 entrevistas e os dados coletados apontam que 349 famílias estão aptas a serem contempladas pela iniciativa.

Têm prioridade no na Régua, as famílias em situação de pobreza extrema ou chefiada por mulheres e pessoas com deficiência; De acordo com a pesquisa, o Morro da Paz apresenta o maior índice de pobreza extrema entre as comunidades analisadas, correspondendo a 37,5% do número total das famílias. Entre elas está a da dona Maria Elizete, de 67 anos, que tem convivido com o cenário de infiltrações no teto e goteiras por todo imóvel.

– Quando meu marido morreu, a situação da casa ficou muito difícil. Não tenho feito reformas, pois não consigo. Diante dessa realidade, vejo que o Na Régua deu esperança para todos nós. Saber que posso receber um projeto para resolver a situação do meu teto é um alívio, porque isso acaba com os meus dois maiores problemas: as goteiras e a as infiltrações. Era tudo que eu precisava”, celebrou a aposentada.

Além de Queimados, já há escritórios em funcionamentos em outras sete comunidades da Capital, são elas: Providência, Cajueiro, Serrinha, Buriti Congonhas, Marcílio Dias, Acari e Rocinha. Todos eles funcionam de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h. O próximo escritório a ser inaugurado será o do Jacarezinho, dentro do Programa Cidade Integrada.

– O Governador Claudio Castro nos deu a determinação de melhorar a questão da habitabilidade e dar mais dignidade às famílias que tanto precisam. Nossos técnicos fazem avaliação das casas onde essas famílias moram, tendo como foco questões sanitárias. Há famílias que vivem em casas sem banheiro, outras possuem infiltrações, mofo nas paredes e falta ventilação adequada. O Estado não só fará os projetos, como em alguns casos irá subsidiar essas melhorias, fazendo com que a economia local seja afetada positivamente, com a compra do material de construção e a contratação de profissionais, destacou o secretário de Infraestrutura e Obras, Max Lemos.

Como participar do Na Régua?

Entre os serviços oferecidos no escritório regional, estão: projetos de impermeabilização contra infiltração, pintura, assentamento de revestimentos e, claro, não poderia faltar a reforma do imóvel. Para serem contempladas pelo Projeto “Na Régua”, as famílias têm que possuir um único imóvel, residir há pelo menos três anos no local e receber até três salários mínimos. Idosos e pessoas com doenças respiratórias crônicas ou de fácil disseminação também têm prioridade.

O escritório de Queimados fica localizado à Avenida Irmãos Guinle, 1497 – salas 104, 106 e 108 – Centro.

Fonte: SEINFRA