Senador Romário dá posse a diretórios do Podemos na Baixada em maratona ao lado do Dep. Max Lemos

Senador Romário dá posse a diretórios do Podemos na Baixada em maratona ao lado do Dep. Max Lemos

Em uma maratona realizada na Baixada Fluminense, no último fim de semana, o senador Romário anunciou que seu partido, o Podemos, deverá lançar candidatos a prefeito e a vice em pelo menos 25 cidades do Estado do Rio nas eleições de 2020. Ao lado do deputado Estadual Max Lemos (MDB), seu novo aliado político e do coordenador do partido na Baixada, Carlinhos Presidente, o baixinho deu posse aos diretórios municipais de Japeri, Queimados, Nova Iguaçu e Mesquita.

Romário e Lemos também farão parceria em cidades do Norte e Noroeste do estado. Juntos, eles já organizam agenda para essas regiões. Nesta semana, os dois também estarão juntos em Brasília buscando investimentos na área do esporte e de habitação para os municípios da Baixada Fluminense.

Eleito com 147 mil votos para federal em 2010 e quase 5 milhões para senador, em 2014, Romário disse que quando chegou à Câmara dos deputados em Brasília, haviam apenas 2 deputados no Podemos e, hoje, já são 18, enquanto no senado já são 11 senadores.

“E com a ajuda do Max, o Podemos vai crescer muito na Baixada e em outras regiões. Nas eleições de 2020, vamos lançar candidatos a prefeito e a vice em pelo menos 25 cidades do estado do Rio”,

anunciou.

O Senador Também reclamou da situação da classe política no país. “A política nos últimos anos tem sido uma grande decepção para todos nós. E muitos têm deixado a desejar. Eu sou mais de agir do que falar. Gosto de cuidar das pessoas”, disse o senador, durante posse do novo diretório do município de Japeri, que tem o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) mais baixo do estado. E, olhando para 2020, acrescentou que “Japeri precisa de Carlos Januário”, ao empossá-lo presidente local do Podemos.

Na cidade de Queimados, onde o Podemos deu posse a Belé Lisboa na presidência da executiva, ao lado do prefeito Carlos Vilela (MDB) e de várias lideranças políticas, o senador teceu elogios ao trabalho do Max quando prefeito e agora como deputado. “Ele é um dos mais respeitados na Assembleia Legislativa (Alerj)”. Já o prefeito da cidade, Carlos Vilela, disse que recebeu a visita no senador como presente de aniversário pelos 29 anos de Queimados – comemorados no dia 25 de novembro.

Nova Iguaçu

Em Nova Iguaçu, por causa de sua agenda, o senador empossou as comissões executivas do Podemos do município sede (Leonardo Mazzuti) e também de Mesquita (Anselmo Alves). Romário destacou a gestão de Max como prefeito de Queimados e fez previsão para 2020 na cidade.

“Max colocou a cidade que governou entre as três melhores do país em desenvolvimento econômico. Ele é o nome que vai mudar o jeito de fazer política em Nova Iguaçu”,

frisou.

Max retribuiu os elogios a Romário e teceu comentários sobre a situação política e administrativa em Nova Iguaçu.

“Falar do Romário é falar de uma estrela. Um craque no futebol e agora um craque na política. É uma honra caminhar ao seu lado. Um político dedicado comprometido com as causas sérias”.

O deputado disse que Nova Iguaçu se perdeu. “Era a sétima cidade brasileira, se perdeu no caminho e parou de crescer economicamente. É a cidade que mais desemprega no estado do Rio. A Niely fechou suas portas, mais de 600 pessoas desempregadas”. A cidade perdeu o Distrito Industrial para Queimados por causa da emancipação “e não fez outro”, frisou o Max Lemos. “Acreditamos que é possível fazer um distrito industrial em Adrianópolis e um menor na região do Km 32. Movimentar a economia é gerar emprego”, destacou o deputado.

Coisas inexplicáveis

Segundo ele, em Nova Iguaçu acontecem coisas inexplicáveis. “O Hospital Iguassú, uma das mais importantes unidades de saúde da cidade, fechado há anos, sem que haja interesse por parte do poder público em reabri-lo. O Aeroclube tem uma pista de pouso e decolagem maior do que o do Santos Dumont. Poderia estar funcionando, aquecendo investimento, mas também não há interesse. Quando assumi Queimados encontrei 859 ruas sem asfalto. Pavimentei 500. Nova Iguaçu tem mais de 4 mil nessa situação. É possível asfaltar pelo menos a metade em um mandato de quatro anos. Na cidade tem 30% da população ainda sem água potável em suas casas. Nova Iguaçu tem que mudar a forma de pensar. Essa história de dizer que tá legalzinho, que tá mais ou menos não dá mais”, discorda.

Trânsito – O discurso do deputado Max Lemos também apontou outras situações crônicas na cidade.

“Nova Iguaçu tem o pior trânsito da Baixada Fluminense. Se não tem coragem de acabar com as Vans, por que não legalizam? Por que não interessa? E a quem não interessa? Não pode continuar assim. É possível organizar pra ficar bacana”,

acentua.

Inundações – Max também defendeu programa de trabalho para acabar com inundações.

“A cidade não tem um programa de canalização. Os bairros próximos ao rio Botas ficam embaixo d’água. Se cada prefeito que passou pela cidade tivesse feito 1 km o rio estaria totalmente canalizado”,

concluiu o deputado.